Iom Kipur

Data de publicação: 21/12/2009

Pedindo perdão aos amigos

Descrição da data

*O aspecto religioso
O dia de Iom Kipur culmina no décimo dia de asseret iemei tshuva (os dez dias de arrependimento), os dez dias de preparação para a chegada do dia de Iom Kipur, 10 de tishrei.

E, nesses dias, procuramos fazer o bem! D’us espera que nos conscientizemos da necessidade de praticar bons atos.

E, dessa forma, que sejamos abençoados com um ano bom. Faz parte dessa preparação, a avaliação pessoal do próprio comportamento… E descobrir dentro de si o que se deve melhorar.

Chegou o dia para perdoarmos o próximo e também para pedirmos desculpas por atitudes passadas. É o tempo de resolvermos as mágoas guardadas! É a chance de recomeçar, de deixar para trás as atitudes negativas e modificá-las. Essa é a tshuva (arrependimento).

Esse é o sincero arrependimento oportuno desses dez dias. E, quando chega Iom Kipur, rogamos e esperamos pelo julgamento divino positivo. Durante os dez dias, concentramo-nos em nossas relações pessoais. Devemos dar ênfase ao respeito que devemos ter pelas pessoas.

Símbolos e motivos, usos e costumes

Em Rosh Hashana, acredita-se que D’us nos inscreve no Livro dos Justos, e, em Iom Kipur, carimba-nos. Por isso, é costume desejar: Gmar chatima tova! (Que tenha um bom selo, ao final do veredicto). Antes de ir para a sinagoga, é costume o pai abençoar os seus filhos.

O uso de roupa branca é uma antiga e consagrada praxe, que tem, por objetivo, recordar as mortalhas brancas (com as quais enterram os mortos) e tornar o coração mais humilde. A cor branca também representa pureza e simboliza a promessa profética: “Ainda que seus pecados sejam como a escarlata, tornar-se-ão brancos como a neve.” (Isaías 1, 18)

Imediatamente depois de Iom Kipur, os preparativos para a festa de Sukot devem começar.

*Mitzvot 

Kaparot

Erev (a véspera de) Iom Kipur é saudado pelo antigo costume de kaparot, realizado antes do raiar do dia. O homem, ou menino, apanha um galo; a mulher, ou menina, uma galinha. Seguram-nos nas mãos, recitando a bracha bnei adam e giram a ave nove vezes sobre a cabeça. A prece continua: “Seja esta a minha expiação...”

Isto é feito, com o intuito de evocar um arrependimento sincero, para que não tenhamos destino semelhante ao da ave, graças à mercê de D’us, Que nos perdoa após o arrependimento verdadeiro. Em seguida, a ave é solta e enviada ao shochet (profissional religioso que abate animais para fins de uso), e o valor correspondente à ave é dado aos pobres. Este costume também pode ser feito com dinheiro.

Tzom e toalete, num dia sagrado

Em Erev Iom Kipur, costuma-se oferecer uma ceia e comer mais do que o habitual. Esta é realizada, para contrastar com o tzom (jejum) que mulheres e homens deverão realizar, a partir dos doze e treze anos de idade, respectivamente. O tzom dura vinte e cinco horas. É proibido comer ou beber, assim como lavar-se, passar cremes, óleos ou maquiagem, calçar sapatos de couro ou manter relações conjugais.

Conceitos importantes

tzom - jejum
tfila/ot - prece/s, oração/ões ou reza/s
tkia bashofar - toque no shofar
bakashat slicha - pedido de perdão
Beit Haknesset - sinagoga casa de reuniões
bracha/ot - bênção/s; obs.: birkat, bênção de
machzor - livro de rezas, especial para Rosh Hashana e Iom Kipur
talit - xale de rezas
tshuva - arrependimento

Videos | Assista os vídeos relacionados


Imagens | Veja as imagens relacionadas

Arquivos | Download de arquivos

Artigos | Veja os conteúdos relacionados

Colégio Renascença

Rua São Vicente de Paulo, 659
Santa Cecília - São Paulo, SP

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 17h

(11) 3824 0788

© 2017 - Colégio Renascença | Todos os direitos reservados.