Man who typed Schindler’s List dies

Data de publicação: 22/06/2011

Mieczyslaw  Pemper, known as Mietek Pemper,  was born in 1920 to a Jewish family. He was imprisoned at the Nazi concentration camp Plaszow, where he worked as the personal typist for its feared commandant Amon Göth, from 1943 to 1944.

He was responsible for typing up Oskar Schindler's list, which helped save 1,200 Jews from the Nazis. 

He secretly read a letter sent to Goeth from Berlin announcing that all factories not producing goods for the Nazi-war effort would be closed down. Pemper was able to convince Schindler, a Nazi-party member – who initially hoped to profit from the Germany’s invasion of Poland – to switch his plant’s focus from enamel production to anti-tank grenade rifles. Pemper gave Schindler a typed list of 1,000 fellow prisoners who could work in the plant. Schindler saved more than 1,200 lives through work opportunities and bribes to Nazi officers when he hid Jews in their enamel cookware factory.

Schindler's story was famously adapted by director Steven Spielberg and Mietek Pemper subsequently related his experiences to university, school and adult audiences.

Unfortunately, Pemper died Tuesday in Augsburg, Germany, at age 91. However, all of us are sure he made a great contribution to the Jews and the history because of the access to these records (the list), which are certainly important evidence to prove the Holocaust.

Journalists of the week : Flávia, Giovana B., Giovanna M., Bruna T. and  Tatiana
( 9th Grade Students – Teacher Xavier)


Morre o homem que datilografou a Lista de Schindler
                                                
Mieczyslaw  Pemper, conhecido como Mietek Pemper,  nasceu em 1920  no seio de uma família judia. Ele foi prisioneiro do campo de concentração de Plaszow, onde trabalhou como datilógrafo para o temível comandante nazista Amon Göth, de 1943 a 1944.

Ele foi responsável por datilografar a lista de Oskar Schindler, a qual ajudou a salvar 1.200 judeus dos nazistas.  Secretamente ele leu uma carta enviada para Göeth de Berlin anunciando que todas as fábricas que não produzissem artigos de interesse para a guerra nazista seriam fechadas. Pemper conseguiu convencer Schindler, um membro do partido nazista – que inicialmente esperava lucrar com a invasão da Polônia pela Alemanha – a mudar o foco de seus planos da produção de panelas esmaltadas para armas anti-tanques. Pemper forneceu a Schindler uma lista datilografada com o nome de 1.000 prisioneiros que poderiam trabalhar na fábrica. Schindler salvou mais de 1.200 vidas através de oportunidades de trabalho e subornos pagos aos oficiais nazistas quando ele escondeu judeus em sua fábrica de panelas.

A história de Schindler foi adaptada com sucesso pelo diretor Steven Spielberg. E Mietek Pemper posteriormente relatou sua experiência em universidades, escolas e platéias de adultos.

Infelizmente, Pemper faleceu na terça-feira em Augsburg, Alemanha, aos 91 anos. No entanto, todos nós estamos certos de sua grande contribuição aos judeus e à história devido ao acesso a esses registros (a lista), que, com certeza, constituem uma prova importante do Holocausto.

Jornalistas da semana  : Flávia, Giovana B., Giovanna M., Bruna T.e  Tatiana
( Alunos dos 9os anos  – Professor  Xavier)

 

Videos | Assista os vídeos relacionados


Imagens | Veja as imagens relacionadas

Arquivos | Download de arquivos

Artigos | Veja os conteúdos relacionados

Colégio Renascença

Rua São Vicente de Paulo, 659
Santa Cecília - São Paulo, SP

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 17h

(11) 3824 0788

© 2017 - Colégio Renascença | Todos os direitos reservados.